Enviado por: Vanderli do Carmo Rodrigues em 29/01/2019 06:24:34 695 leituras

Animais nossos irmãos Vaca agoniza presa à lama e é sacrificada em Brumadinho (MG)

Vaca agoniza presa à lama e é sacrificada em Brumadinho (MG)

A vaca estava no local, sem água e comida, desde a última sexta-feira (25)



Duas vacas ficaram atoladas na lama no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), após uma barragem da Vale ceder. Uma delas foi sacrificada neste domingo (27) após ser desenganada pelos veterinários e o corpo foi deixado na própria lama. A outra ainda espera o resgate. Os animais estão no local, sem água e sem comida, desde a última sexta-feira (25).

A aproximação dos voluntários da causa animal foi bastante difícil. Isso porque funcionários da mineradora e policiais não queriam autorizar o resgate das vacas. Na manhã do domingo, o risco de novo rompimento de barragem impossibilitou os trabalhos do Instituto Luísa Mel, do grupo Anjos do Asfalto e de voluntários da Eco Ação. As informações são do portal O Globo.

Após a suspensão do alerta de risco, no entanto, a situação permaneceu difícil para os voluntários. Isso porque, no período da tarde, segundo relatos de moradores, a Vale mandou colocar tapumes para impedir o acesso ao local. Indignado, um grupo de pessoas arrancou os tapumes e os usou para calçar a lama e chegar aos animais.

“Tantas vidas humanas foram perdidas, nos deixem salvar ao menos esses pobres animais”, disse Magda Lima, que perdeu amigos com o rompimento da barragem.

Durante a ação dos voluntários da causa animal, uma funcionária da Vale, que não foi identificada, pediu ao pé do ouvido de um policial que o acesso aos animais fosse novamente bloqueado no dia seguinte. A mulher e os policiais alegam temer pela segurança da população.

“Dizem que a gente está atrapalhando. Mas só querem colocar um tapume na tragédia. Sabemos que há risco, mas nossa revolta é maior”, afirmou Daniele Fernandes, que também perdeu amigos.

No decorrer do dia, a Cruz Vermelha e a ONG Sea Shepard chegaram ao local, trazendo um guincho, para ajudar. Um helicóptero do Corpo de Bombeiros também foi até o Córrego do Feijão. Os militares, no entanto, afirmaram que a aeronave não suportaria o peso da vaca. O animal foi, então, desenganado por uma veterinária. Porém, até o início da noite, voluntários trabalhavam para tentar salvá-la.

De acordo com a moradora Silvana Gonçalves, as duas vacas foram parar no local após serem arrastadas pela lama.

Fonte: www.anda.jor.br